18/02/2014

NOVIDADES DE FEVEREIRO XII

- “ Um Milionário em Lisboa” – José Rodrigues dos Santos
“ Kaloust Sarkisian completa a arquitetura do negócio mundial do petróleo e torna-se o homem mais rico do século. Dividido entre Paris e Londres, cidades em cujas suites dos hotéis Ritz mantém em permanência uma beldade núbil, dedica-se à arte e transforma-se no maior colecionador do seu tempo.”
O horror da matança dos Arménios na Primeira Guerra Mundial e a hecatombe da Segunda Guerra Mundial levam o milionário arménio a procurar um novo sítio para viver. Após semanas a agonizar sobre as escolhas que teria de fazer, é o filho quem lhe apresenta a solução: Lisboa.
O homem mais rico do planeta decide viver no bucólico Portugal. O país agita-se, Salazar questiona-se, o mundo do petróleo espanta-se. E a polícia portuguesa prende-o.”

- O Príncipe Feliz e outros contos” – Oscar Wilde
“ Clássicos  não  apenas  juvenis  mas da literatura mundial,  os contos de Oscar  Wilde,  como O Príncipe Feliz, em que uma andorinha ajuda a estátua de um príncipe a atenuar o sofrimento dos pobres da sua cidade, há muito encantam diferentes gerações de leitores pela sua profunda capacidade imaginativa e notável capacidade literária. Além dos contos presentes na edição original, de 1888, este volume apresenta ainda as histórias incluídas na coleção A Casa das Romãs, de 1891, como «O Jovem Rei» e «O Pescador e a sua Alma». ”

- “Um Dia Naquele Inverno” – Sveva Casati Modigani
“ Numa grande mansão, às portas de Milão, vivem os Cantoni, proprietários há três gerações da homónima e prestigiada fábrica de torneiras.

Aparentemente, todos os membros da família levam uma vida transparente, mas, na realidade, todos eles escondem segredos que os marcaram; existem situações que, ainda que conhecidas por todos, permanecem um tema tabu. Omite-se até a loucura de que sofre Bianca, a matriarca desta dinastia. Um dia, entra em cena Léonie Tardivaux, uma jovem francesa sem dinheiro e sem parentes, que casa com Guido Cantoni, o único neto de Bianca. Léonie adapta-se bastante bem à rotina familiar, compreendendo a regra de silêncio dos Cantoni. Isso não a impede de ser uma esposa exemplar, uma mãe atenta e uma gerente talentosa, que, com bastante êxito, conduz a firma pelo mar hostil da recessão económica. No entanto, também ela cultiva o seu segredo, aquele que todos os anos, durante apenas um dia, a leva a largar tudo e a refugiar-se no Lago de Como.”
Enviar um comentário