04/12/2009

Literacia em Portugal

Decorreu no dia 2 de Dezembro, na Fundação Calouste Gulbenkian, a conferência de apresentação do estudo “A Dimensão Económica da Literacia em Portugal: uma análise”,
Realizado por uma equipa de peritos internacionais, o estudo centra-se nos efeitos da literacia a nível individual e macroeconómico, bem como nas medidas tomadas para a sua melhoria, caso do Plano Nacional de Leitura.
Segundo o Jornal de Notícias, o Relatório aponta graves deficiências nas competências dos portugueses.
Somente um em cada cinco portugueses possui nível médio de literacia. O que causa prejuízos directos no potencial de desenvolvimento do país. As conclusões constam de um estudo apresentado na Gulbenkian.
Segundo o relatório realizado pela Data Angel, a pedido dos coordenadores do Plano Nacional de Leitura (PNL) e apresentado ontem na Gulbenkian, apenas um em cada cinco portugueses possui o nível médio de literacia. Na Suécia, a correspondência é de quatro em cada cinco suecos.

Literacia é a capacidade de ler e compreender o que se lê para resolver problemas concretos. Esta aptidão em Portugal, refere o relatório, é muito baixa. "Portugal apresenta os níveis mais baixos de competências de literacia de entre todos os países observados", referiu o coordenador do projecto, Scott Murray.
"O conhecimento e as competências das pessoas, quando postos aos serviço da produção, são um forte motor do crescimento económico e do desenvolvimento social". Mas, segundo os dados disponíveis para Portugal, a literacia tem no nosso país "um valor económico reduzido no mercado de trabalho".
Ler mais.
Enviar um comentário