10/01/2017

Mário Alberto Nobre Lopes Soares


“ Sou republicano, socialista e laico”
Mário Soares
Mário Alberto Nobre Lopes Soares nasceu em Lisboa a 7 de dezembro de 1924 e faleceu em Lisboa7 de janeiro de 2017. Licenciou-se em Ciências Histórico- Filosóficas em 1951 pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, e em Direito pela mesma Universidade em 1957.
Político de profissão e vocação, co-fundador do Partido Socialista, a 19 de abril de 1973, o percurso de Mário Soares inicia-se nos grupos de oposição ao Estado Novo, atividades que levariam o governo de Salazar a mandá-lo prender doze vezes, a ser deportado para São Tomé, onde permaneceu até o governo de Marcello Caetano lhe permitir o exílio em França. Em 1949, na prisão, casa por procuração com Maria de Jesus Barroso de quem teve dois filhos.
No processo de transição democrática subsequente ao 25 de abril de 1974 afirma-se como líder partidário no campo democrático, sendo ainda Ministro dos Negócios Estrangeiros de alguns dos governos provisórios. Foi um dos responsáveis pelo processo de descolonização que se seguiu ao 25 de Abril. Em seguida foi Primeiro-Ministro dos III e IX governos constitucionais, acompanhando o processo de construção de políticas sociais pré-adesão às Comunidades Europeias. Foi Mário Soares, como Primeiro-Ministro, que assinou a adesão de Portugal à Comunidade Económica Europeia em 12 de Junho de 1985.
Foi Presidente da República durante dois mandatos, entre 1986 e 1996.
Ainda durante a ditadura Mário Soares escreveu que tinha três metas na vida: que Portugal tivesse um governo parlamentar multipartidário, acabar com a guerra em África e conseguir que Portugal entrasse na Comunidade Europeia. Muito poucos políticos se conseguem gabar de terem atingido todos os seus objetivos.
Mário Soares é unanimemente considerado como um lutador, durante a ditadura e no pós 25 de abril. Esta característica juntamente com uma cultura geral vastíssima, uma intuição política rara, uma convicção profunda e inabalável de que a liberdade e a democracia são a base duma sociedade justa, fizeram dele o maior político português do século XX e um dos maiores do mundo.
O Portugal em que vivemos com Serviço Nacional de Saúde a que todos têm acesso, com o sistema educativo aberto a todos, em grande parte devemo-lo à sua luta e à sua determinação. 
Enviar um comentário