11/03/2014

LIVROS NOVOS - MARÇO

- “ Eu, Sara, me confesso” – Sara Norte
“ Sara Norte tinha tudo para ser uma jovem diferente, bem-sucedida.
Filha de pais atores, Vitor Norte e Carla Lupi, cedo mostrou interesse pelo mundo artístico, quer através das suas brincadeiras de criança quer pela vontade de participar ativamente no meio e, com a sua simpatia e profissionalismo, acabou, também, cedo por encantar quem a viu em cena.
Aos quatro anos fez o primeiro anúncio televisivo. Posteriormente muitos outros. Entrou na Rua Sésamo, aos oito anos na ópera Falstaff, aos doze na famosa série televisiva Médico de Família e, anos depois, na telenovela Lusitana Paixão.
As suas convicções eram fortes e o sonho era ir estudar Teatro para Londres, mas também fazer um curso superior que lhe permitisse ter segurança profissional e financeira. Tudo era disciplinado e fazia sentido, até um dia… o dia em que a sua estabilidade emocional e familiar abalou e o seu mundo desabou!
Sara passou por muitas fases más, negras até. Dos sofrimentos familiares, ao envolvimento com as pessoas erradas no sítio errado que a levaram ao mundo da droga, da cocaína, aos comprimidos de extasy, às consecutivas viagens a Marrocos para traficar haxixe que acabaram por culminar na sua detenção e prisão.”

- “ Amada Vida” – Alice Munro ( Prémio Nobel da Literatura 2013)
“ Alice Munro possui um inigualável talento – o de nos transmitir de modo conciso a essência da vida. E é sob a forma de contos que o faz, de novo, em Amada Vida.
História a história, Munro destaca os momentos em que a vida é profundamente transformada por um encontro casual, uma ação não realizada, ou mesmo por um desvio no destino que faz alguém alterar o seu trajeto quotidiano ou modo de pensar.
Uma poeta, na sua primeira festa literária em território inóspito, é salva por um colonista de jornal, acabando por partir numa viagem através do continente que a leva a um inesperado encontro.
Um jovem soldado, ao regressar da segunda Guerra Mundial para os braços da sua noiva, sai do comboio antes da sua estação, encontrando numa quinta uma mulher com quem inicia nova vida.
Uma jovem mantém um caso com um advogado casado, contratado pelo pai para gerir os seus bens. Quando a relação é descoberta, ela encontra uma forma surpreendente de lidar com a chantagista.
Uma rapariga que sofre de insónias imagina, noite após noite, que assassina a irmã mais nova.
Uma mãe resgata a filha no exato momento em que uma mulher tresloucada invade o seu quintal.
A maioria destas histórias ocorrem no território natal de Alice Munro – as pequenas vilas em redor do Lago Huron, no Canadá – embora, por vezes, os personagens se aventurem na cidade.

Estes contos mostram-nos – nas partidas, nos novos começos, nos acidentes, nos perigos e nos regressos, tanto imaginários como reais – que o quotidiano da nossa vida pode ser tão estranho e arriscado como belo.”
Enviar um comentário