13/02/2014

NNOVIDADES DE FEVEREIRO XIX


- “Enquanto Salazar dormia” – Domingos Amaral

“Lisboa 1941. Um oásis de tranquilidade numa Europa fustigada pelos horrores da II Guerra Mundial. Os refugiados chegam aos milhares e Lisboa enche-se de milionários e atrizes,  judeus e espiões. Portugal torna-se palco e uma guerra secreta que Salazar permite, mas vigia à distância.”
 

- “ A Casa dos Espelhos " – Ulysses Moore

“ Jason, Julia e Rick estavam por baixo do telhado da Vivenda Argo, mergulhados num silêncio preocupante.”

“ O sótão era uma única sala grande, poeirenta, habitada por objetos antigos cobertos de trapos e pela luz dourada do pôr do Sol.”

“ Imóvel contra a luz dourada, estava um homem com um grande chapéu na cabeça.”

“ Solitário ficou um rei

Que vai perder a partida.

Quer vencer o jogo com os três

E aos três vai fazer perder a vida.”
 

- “ José” – Ruben Fonseca

“ Ao falar da sua infância José tem que recorrer à sua memória e sabe que ela o trai, pois muita coisa está sendo relembrada de maneira inexata, ou foi esquecida. Mas ele gostaria de concluir, ao fim dessas lembranças tumultuadas, que a memória pode ser uma aliada da vida. Sabe que todo o relato autobiográfico é um amontoado de mentiras – o autor mente para o leitor, e mente para si mesmo. Mas aqui, se alguma coisa foi esquecida, ele se esforçou para que nada fosse inventado. José cita Proust: «a lembrança das coisas passadas não é necessariamente a lembrança das coisas como elas foram.»
Enviar um comentário