06/02/2010

Concurso Nacional de Leitura - fase distrital

Já foram seleccionados os livros para a fase distrital do Concurso Nacional de Leitura - 2010.

3º ciclo

Os Olhos de Ana Marta de Alice Vieira


"Os Olhos de Ana Marta" é classificado por alguns críticos como o melhor romance de Alice Vieira, pela construção das personagens, a estrutura narrativa e a concepção da história, que por vezes lembra uma misteriosa história policial. A mãe de Marta (a protagonista, de 11 anos) não quer que lhe chamem mãe. A casa tem muitos quartos misteriosamente fechados. Marta sente nas paredes dois olhos que a seguem. Página a página, o segredo vai-se desvendando, e Marta consegue conquistar o coração da mãe. O livro foi incluído na Lista de Honra 1994 do IBBY.





O Hobbit de J. R. R. Tolkien

Este é o prelúdio de “O Senhor dos Anéis”. Bilbo é um hobbit que gosta de uma vida confortável, sem ambição. Mas seu contentamento é perturbado quando o feiticeiro, Gandalf e uma companhia de anões chegam à sua porta para o levar numa aventura. É uma aventura, vivida por um grupo de anões em busca do dragão de ouro escondido. Encontros com trolls, duendes, anões, elfos, aranhas gigantes e as conversas com o dragão, são apenas algumas das aventuras que acontecem a Bilbo.


Ens. Secundário

Drácula de Bram Stoker

Drácula é um dos melhores clássicos de terror de sempre. Bram Stoker maravilha com a sua descrição dos lugares e dos pontos de vista de cada uma das personagens. O livro está estruturado na forma de vários diários escritos pelos protagonistas (à excepção do próprio Drácula), oferecendo uma perspectiva única da experiência individual.






Mea Culpa ! de E.S. Tagino

No final dos anos sessenta, numa pequena cidade costeira do Oeste, onde as neblinas e a ventania definem a geografia agreste do lugar, um grupo de jovens que aspira a ser a próxima geração de pessoas importantes da terra, e uma encantadora adolescente, que a todos seduz, estão no centro de uma brincadeira de mau gosto que redunda em tragédia.
Esta é também a história dos Paralta, uma saga familiar, que vai desde o século XVI até aos nosso dias, que ajuda a compreender, quarenta anos mais tarde, como essa quase inocente brincadeira trágica foi, afinal, um crime quase perfeito.
Estes são os ingredientes com que se tece o novo romance de E. S. Tagino, Mea Culpa!, Prémio Paul Harris 2007: uma história feita de silêncios e segredos, de incomunicabilidade e equívocos e, principalmente, de muita culpa. À boa maneira dos livros policiais, prende-nos pela sua trama e surpreende-nos com o seu inesperado desenlance.

Fonte: http://www.wook.pt/
Enviar um comentário